Do conhecimento do bem e do mal até o relativismo moral dos nossos tempos

Na narrativa da Gênesis, Adão e Eva são expulsos do paraíso depois de provarem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Há muita confusão nesse trecho, até de muitos católicos. Por que Deus queria evitar que o homem pudesse distinguir entre o bem e o mal? Isso não faz sentido. Até porque, para obedecer a proibição, o homem teria que necessariamente distinguir entre o bem e o mal. E se não soubesse distinguir, como poderia ser penalizado?

A grande questão é que não se trata do conhecimento que o homem tem do bem e do mal. Esse ele sempre teve! O simbolismo da Bíblia se refere ao conhecimento de Deus e não do homem. Sendo Deus a perfeição absoluta, não há como pensar que Ele precise do mesmo tipo de conhecimento de suas criaturas, isso é, do que se relaciona ao aspecto cognitivo e moral. O conhecimento que Deus tem é fruto da determinação do que é bem e o que é mal. Era esse conhecimento que Adão buscou no paraíso, ser capaz de determinar o que é bem, e por exclusão, o que é mal. Em outras palavras, Adão simbolisa o homem que quer ser Deus _ Não por acaso, a árvore do conhecimento do bem e do mal ficava ao lado da árvore da vida. Um sério aviso para nossos geneticistas.

Um longo caminho de séculos nos levou aos tempos atuais, onde parte da sociedade, justamente as classes mais ricas, tentam a todo custo abolir toda a noção de moral. Para eles, tudo é relativo, inclusive a distinção do certo e do errado. No fundo, querem a liberdade de decidir o que é o bem e o que é o mal, justamente o que Adão e Eva buscaram no paraíso.

Na verdade trata-se de uma grande ilusão porque as leis morais, aquelas que valem para todas as sociedades e para todos os tempos, estão gravadas em nossas consciências. É triste ver o imenso malabrarismo intelectual que os relativistas fazem para, em síntese, enganar a si próprios. Claro que é impossível e no fim terminam no vazio que o niilismo termina por nos levar.

Infelizmente 9 entre 10 católicos serão incapazes de explicar o significado dessa passagem tão importante do texto bíblico, o que demonstra que a fé precisa ser acompanhada do uso da razão. É preciso estudar! Sem a leitura e a reflexão a própria doutrina se torna sem sentido e acaba fazendo um deserviço à própria fé. Por iso São Tomás de Aquino é tão importante para a doutrina da Igreja. Por isso os intelectuais da Igreja, e foram muitos!, são tão importantes!

Por isso uma religião não pode ser sinônimo de obscurantismo. A fé não pode contrariar a razão, como já ensinava São Tomás, talvez o maior filósofo da cristandade.

Anúncios

Um comentário sobre “Do conhecimento do bem e do mal até o relativismo moral dos nossos tempos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s