Mais diferenças esportivas

Como escrevi em post anterior, é interessante observar as diferenças culturais na relação com o esporte entre grande parte do mundo, incluindo o Brasil, e os Estados Unidos. Esta semana tivemos outro exemplo.

Os árbitros da NFL (Liga de Futebol Americano, o da bola oval) estão em greve. As três primeiras rodadas foram disputadas com os chamados substitutos, árbitros de ligas secundárias. Tirando algumas pequenas polêmicas, a coisa até que ia razoavelmente, apesar da chatice de escutar os comentaristas brasileiros repetindo a todo momento ” paguem as zebras!” a cada erro ou decisão discutível de arbitragem.

Até que veio o jogo de segunda, entre Seattle e New England. No último segundo a arbitragem deu a vitória para o Seattle em um Touchdown para lá de polêmico. O mundo americano literalmente veio abaixo. Políticos, atores, jogadores de basquete, enfim, todo mundo veio a público crucificar a decisão e exigir justiça. A NFL subtamente se reuniu com os árbitros em greve e hoje eles já estão de volta. Os americanos simplesmente não aceitam que um erro de arbitragem possa decidir uma partida.

tate_golden_g_mp_576.jpg

Fiquei pensando no velho esporte bretão onde erros de arbitragem definindo jogos são muito comuns. Lembro que João Havelange, ainda como presidente da FIFA, chegou a declarar que fazem parte da emoção do futebol. Geram polêmica, rivalidades, e contribuem para a exposição do esporte na mídia. Ontém fiquei sabendo que o clássico interestadual de maior público no Brasil é Flamengo e Atlético. Com certeza a imensa rivalidade gerada pelas decisões da arbitragem na final do brasileiro de 80 e na disputa da libertadores 81 foi fundamental para esses números. O brasileiro, e talvez grande parte do mundo, sabe que não é justo uma decisão de um árbrito definir uma partida, ainda mais um campeonato. Mas sabe também que a vida é assim.

Talvez alqui tenhamos uma diferença cultural importante entre dois tipos de espírito. Um que não se conforma com o que considera injustiça e quer corrigi-la; outro que aceita a injustiça como parte da vida. O futebol americano possui a organização de como um sistema deve funcionar, com todos exercendo seu papel e premiando-se o mérito. O futebol é muitas vezes o caos, com injustiças acontecendo a todo momento, seja o jogo limpo ou não.

Poderia estar aqui uma das razões pela paixão americana pela bola oval. A despeito do resto do mundo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s