Apresentando os clássicos: Music From Big Pink (1968) – The Band

20121213-180237.jpgA Banda é relativamente pouco conhecida por aqui e se não fosse o filme The Last Waltz, com seu horrível título em português (O último concerto de rock), eu teria demorado, como muitos, mais tempo para descobri-la. Felizmente tivemos Scorsese!

O relacionamento dos fãs com a banda é quase mítico, verdadeiramente especial na história do rock. Sabem aquela expressão normalmente equivocada de independência artística e não se curvar ao mercado? Se isso existiu, foi com Robbie Robertson (guitarra), Rick Danko (baixo), Richard Manuel (piano), Levon Helm (bateria) e Garth Hudson (teclados, sax e mil instrumentos).

Uma banda de rock com um guitarrista, um pianista e um tecladista? Só isso já seria original,mas eles ainda gravaram seu primeiro disco em Woodstock no final dos anos 70 e a temática da obra é religião, valores familiares e condição humana. O principal compositor, Robbie Robertson, fazia questão de colocar seu instrumento em segundo plano pois acreditava que nada deveria se sobressair à música. Nem mesmo eles como individualidades. Por isso pode-se dizer com toda certeza que foram mais do que a soma dos seus integrantes.

Dos discos lançados por The Band, o meu favorito é justamente esse primeiro gravado em Woodstock, no porão do Sammy Davis Jr, ao lado da piscina. Para ter uma idéia da repercussão no cenário musical Elton John lançou um disco inteiro (Tumbleweed Connection) inspirado neste trabalho e Eric Clapton acabou com seu Blind Faith pois descobriu o tipo de sonoridade que queria para o resto de sua vida.20121213-180251.jpg

Nunca me canso de escutar este extraordinário disco de rock que começa com uma balada triste, Tears of Rage, na voz melodiosa de Richard Manuel e fala do abandono, de uma filha que deixa sua família. To Kingdom Come é uma rara música cantada por Robertson; prestem atenção no curto e delicado solo de guitarra. Caledonia Mission é pontuado por um violino de fundo, tocado por Danko. The Weight é possivelmente minha música preferida de todos os tempos. We Can Talk tem uma introdução inspiradíssima de piano e teclado, mostrando o que se pode obter da combinação de ambos os intrumentos. Chest Fever tem a genialidade de Garth Hudson, um verdadeiro multi-instrumentista. Por fim, tem o presentaço de Bob Dylan para seus ex-companheiros, a bela I Shall Be Released. Ainda tem meia dúzia de músicas que não deixam o nível do trabalho cair, uma verdadeira obra de arte.

20121213-180259.jpgAlém do instrumental belíssimo, as letras são intrigantes e bem acima da média. Experimente interpretar a letra de The Weight por exemplo. Até hoje acho que escutei mal quando Helm canta que vinha Carmen ” and the devil, side by side” e ela diz que tem que ir, ” but my friend can stick around!”. Ou essa frase magnífica de verdadeira de Robertson em To Kingdom Come:

Just be careful what you do, it all comes back on you

Além de tudo que foi apresentado, a banda tinha simplesmente três vocais maravilhosos, o baterista Levon Helm com seu sotaque sulista, Danko com sua voz triste e Manuel, com sua voz aguda e delicada.

Um dos melhores discos de rock de todos os tempos, perfeito do início ao fim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s