É possível defender Chávez?

Fico estarrecido com a sem cerimônia com que a esquerda defende seus ditadores. Eu até entendo que é possível defender um ditador em nome do pragmatismo, do realismo político ou até mesmo diante de uma opção pior. Posso não concordar com a opção, mas considero defensável. O que não dá é simplesmente negar os fatos, em outras palavras, a realidade, e colocar como opinião o que é questão de fato.

Li um texto de um idiota hoje defendendo que Chávez não pode ser chamado de ditador. Que ele tenha melhorado a vida dos venezuelanos, reduzido injustiça social (seja o que for que isso signifique), é questão de opinião e pode ser defendido. É perfeitamente possível dizer: ” olha, o Chávez pode ter sido um quase ditador, mas ajudou a melhorar as condições de vida para a maioria dos venezuelanos”. Posso discordar, e o faço veementemente, com essa afirmação mas reconheço que é uma opinião defensável. 

Só que o idiota escreveu que Chávez foi um líder democrático, talvez o maior da América Latina. Aí não dá. Quais os argumentos que usou? O de sempre, que Chávez foi eleito. Pois também foram eleitos Hitler, Mussolini e até mesmo aquele maluco do Irã, aliás parceiro do Chávez. Ele realmente deve acreditar que Fidel Castro foi democraticamente eleito com 100% dos votos todas as vezes que se candidatou. 

Durante sua presidência Chávez alterou a constituição acabando com o limite de reeleições, censurou o único canal de televisão que ousava se posicionar contra o que estava fazendo, e tornou-se um presidente ilegítimo dentro da própria constituição que criou, fato ignorado pela grande imprensa mundial. A posse de Chávez foi uma flagrante ilegalidade, assim como a do tal Maduro.

Como chamar de democrático um processo eleitoral em que um candidato dispõe de horas diárias na televisão contra outro que tem que se contentar com minutos de propaganda eleitoral?

Mas não adianta tentar argumentar com um ideólogo. Ele está constantemente de costas para a realidade em um fenômeno primeiro descrito por Cervantes em sua obra magna. O problema não são idiotas como Sean Penn ou Oliver Stone. O pior são pseudo intelectuais que estão nas universidades, na mídia, publicando livros. 

Qualquer professor que tenha a coragem de dizer que Chávez foi um democrata deveria ser expulso da universidade a ponta pés. A pluralidade de opiniões é bem vinda em um ambiente universitário, a mentira não. Quando um professor mente para os seus alunos está praticando uma violência intelectual, e covarde por estar em uma posição de superioridade. 

Que tenham coragem de dizer que apesar de ser um canalha, Hugo Chávez fez um bem para seu país. Isso é honesto e até mesmo defensável, embora discorde. Mas dizer que o cara foi qualquer coisa fora disso é ser um idiota, usando o termo da forma mais técnica possível.

Repito, uma das tragédias da modernidade é que idiotas políticos dessa magnitude tenham voz em uma universidade ou na mídia. Deveriam estar se tratando com noções elementares de lógica e argumentação. Deveriam estar lendo Aristóteles para tentar aprender o que ele já sabia há mais de 2000 anos. Mas são orgulhosos demais para isso. Não possuem humildade para serem verdadeiros intelectuais.

Triste.

 

Anúncios

Um comentário sobre “É possível defender Chávez?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s