Filmes na viagem

Com um bom atraso, faço o registro dos filmes que vi na viagem para o Brasil, durante os vôos.

The Shop Around the Corner (1940)

Um dos grandes problemas da comunicação são os mal entendidos. Os efeitos são ainda mais dramáticos quando a comunicação deficiente se dá entre pessoas boas, que se querem bem, gerando toda espécie de sofrimentos desnecessários. No filme, baseado em peça de teatro, existem basicamente duas comunicações problemáticas, as duas tendo Kralik, personagem de James Stewart, como pivô.

Na primeira, há algo evidentemente fora do lugar na comunicação entre ele e seu chefe. Durante anos ele foi o braço direito na loja de Matuschek, em Budapeste, mesmo tendo a impertinência de muitas vezes contrariar seu patrão, mas sempre dizendo a verdade. Seu contraste evidente é com Vadas, sempre pronto a agradar o patrão e buscar seus benefícios. No entanto, algo acontece provocando a deterioração no relacionamento de kralik.

Na segunda comunicação, entre Kralik e a recém contratada Miss Novak, existem dois planos distintos. No primeiro, fruto de um começo tumultuado, os dois não se suportam e trabalham sob constante atrito. No segundo, se correspondem como admiradores secretos, sem saber quem é o correspondente, e  a comunicação efetivamente se estabelece. É fácil ver que no primeiro caso, as aparências causam o engano e no segundo, livre dos preconceitos estabelecidos, há uma ligação afetiva de duas almas que se encontram.

O filme You’ve Got Mail (1998) usou a segunda situação como base. Esqueçam. Fiquem com o original pois, como acontece na maioria dos casos, é bem melhor e mais rico. Um excelente filme.

The Big Sleep (1946)

Um dos clássicos do filme noir, com suas tramas cheia de reviravoltas e que no fundo se sustenta na química entre o detetive particular Marlowe (Bogart) e uma rica herdeira Vivian (Bacall, deslumbrante). Howard Hawks recrutou um time de primeira para escrever o roteiro, entre eles simplesmente William Faulkner, que é simplesmente uma maravilha em si. Um show de tiradas e ironias mordazes, especialmente entre seus protagonistas.

A trama da investigação de uma chantagem conduz a uma série de assassinatos e é tão intricada que em determinado ponto você desiste de entendê-la e se deixa levar pelo espetáculo. O filme se baseia em um livro de Raymond Chandler e o próprio autor deixa passar um assassinato sem a devida explicação, mostrando que a investigação é o verdadeiro assunto do filme.

The Dark Knights Rising (2012)

Ultimamente tenho sido reticente com filmes de ação e por pouco não deixo passar o melhor filme do Batman, e toda riqueza que se esconde debaixo de explosões e perseguições de carro, moto, etc. No meio do filme fica evidente que a principal referência do filme é um clássico de Dickens, o maravilhoso Conto de Duas Cidades. 

Neste filme Batman mostra com toda força sua natureza anti-revolucionária. Antes de tudo é um defensor da ordem.

Estou trabalhando em um texto especial sobre este filme. Paro por aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s